quinta-feira, 13 de setembro de 2018

O Desgaste da Energia Sexual

Existe abuso sexual na ação do sexo através dos outros centros da máquina humana ou na ação dos outros centros através do centro sexual.

Cada centro da máquina deve funcionar com sua própria energia, porém desgraçadamente os outros centros da máquina roubam a energia do sexo.

Quando os centros intelectual, emocional, do movimento e do instinto roubam a energia sexual, existe então abuso sexual.

O que é mais grave de tudo isso é que o centro do sexo tem, por sua vez, que roubar energia dos outros centros com o propósito de poder trabalhar. Tudo isso é abuso sexual.

Quando o sexo trabalha com seu próprio hidrogênio Si-12, pode-se então transmutar para fabricar os Corpos Existenciais Superiores do Ser.

Infelizmente as pessoas abusam da energia sexual, gostam da desordem e de malgastar o hidrogênio Si-12.

É fácil descobrir o abuso sexual nas pessoas. Quando há abuso sexual, o intelecto, a emoção, o movimento e o instinto, têm um certo “sabor” especial, certo matiz inconfundível, certo apaixonamento, certa veemência que não deixa lugar a nenhuma dúvida.

Pode-se ver tudo isto nos planos mentais dos senhores da guerra, nas touradas de “Manolete”; nos esforços apaixonados dos futebolistas em uma olimpíada; nos violentos instintos passionais das pessoas.

Onde quer que haja esbanjamento de intelecto diabólico, emoções violentas, movimentos passionais, corridas apaixonantes de automóveis, cavalos e bicicletas, jogos olímpicos, etc., ou também instintos bestiais em ação, é claro que existe então abuso sexual.

O que é mais grave de todo esse abuso é que o centro do sexo se vê então obrigado a trabalhar com hidrogênios mais pesados, que correspondem aos outros centros. Quando o sexo se vê obrigado a trabalhar com hidrogênios como o 48, o 24, etc., é impossível então fabricar os Corpos Existenciais Superiores do Ser.

Aqueles que gozam com filmes novelas e pinturas pornográficas utilizam a energia sexual no centro pensante e é claro que ficam com a tendência a satisfazer-se unicamente com fantasia sexual e, cedo ou tarde, adquirem a impotência do tipo psico-sexual, a daqueles que, quando de verdade vão efetuar o ato sexual, fracassam lamentavelmente.

Quando o centro emocional rouba a energia sexual, vêm então os sentimentalismos estúpidos, os ciúmes, a crueldade, etc., etc.

Quando o centro do movimento trabalha com o hidrogênio Si-12 roubado do sexo, aparecem os abusadores do centro do movimento, os jogadores de futebol, os acrobatas do circo, os ciclistas das grandes corridas, etc.

Quando o centro do instinto rouba a energia sexual, há então esbanjamento em atos instintivos, passionais, violentos.

O abuso sexual termina de verdade quando estabelecemos dentro de nós mesmos um centro de gravidade permanente.

Já o dissemos e tornamos a repetir que o Eu é legião de diabos. O Eu existe em forma pluralizada.

Os cinco cilindros da máquina humana dão origem e força às legiões de pequenos Eus, que, em seu conjunto, constituem isso que se chama Ego, o Eu, o Mim mesmo. O Eu pluralizado gasta torpemente a essência que temos dentro de nós para fabricar Alma.

Quando dissolvemos o Eu pluralizado, termina o gastador e então a essência acumula-se dentro de nós mesmos, convertendo-se em um centro de gravidade permanente. Quando estabelecemos dentro de nós mesmos um centro de gravidade permanente, o sexo vem a trabalhar com sua própria energia, com seu próprio hidrogênio, o hidrogênio Si-12.

O esoterismo gnóstico ensina que quando o sexo trabalha com sua própria energia, com seu próprio hidrogênio, termina o abuso sexual porque cada centro vem então a trabalhar com a energia que lhe corresponde, com o hidrogênio correspondente e não com o hidrogênio Si-12, roubado do sexo. É necessário dissolver o Eu se quisermos que termine o abuso sexual.

V.M Samael Aun Weor
A Ciência da Música , Cap. Abuso Sexual


Magia Elemental da Natureza – O Domínio da Natureza Interior

Ao Penetrar no Reino da Magia Elemental da Natureza, precisamos primeiramente reconhecer que de acordo com o princípio hermético da correspondência:  “Assim como é encima é embaixo” “Assim como é fora, é dentro”, nós como criaturas feitas da própria natureza, não somos exteriores a ela, mas sim, somos todos partes do mesmo gigantesco corpo dessa Bendita Deusa Mãe portanto, a Natureza não é meramente exterior a nós, mas nos penetra e compenetra profundamente.

Os mesmos elementos que formam a natureza exterior, também são os formadores de nossa natureza interior, tanto biológica como psicológica, assim, a terra, a água, o ar e o fogo, criam e influenciam constantemente nossa natureza particular.

O Homem é o quinto elemento, o princípio etérico, a consciência por detrás da natureza meramente instintiva e mecânica. Portanto, se queremos exercer a herança divina dada ao homem de ser o Rei da Natureza, necessitamos primeiro deixar de ser meramente animais racionais e dominar nossa natureza inferior para que floresça a superior.

Eduardo Lima


Como dominar os elementais atômicos de nossa natureza interior?

 Nunca uma pessoa volúvel e caprichosa governará aos Silfos da natureza. Jamais um sujeito brando, frio e volúvel, será amo absoluto das Ondinas das águas ou das Nereidas dos mares.

A ira irrita as salamandras do fogo e a concupiscência grosseira converte, de fato, em brinquedo dos Gnomos ou Pigmeus do reino mineral a quem quer servir-se deles.

É preciso ser prontos e ativos como os Silfos; flexíveis e atentos às imagens como as Ondinas e Nereidas. Enérgicos e fortes como as salamandras; laboriosos e pacientes como os Gnomos. Em uma palavra, é urgente, indispensável vencer aos elementais em sua força sem deixar-se nunca dominar por suas debilidades.

Quando o mago tenha morrido totalmente em si mesmo a natureza inteira lhe obedecerá.

Como poderíamos mandar aos elementais da natureza se não aprendemos a governar aos elementais atômicos de nosso próprio organismo?

As salamandras atômicas do sangue e do sexo ardem espantosamente com nossas paixões animais.

Os Silfos atômicos de nossos próprios ares vitais, ao serviço da imaginação mecânica (não se confunda isto com a imaginação objetiva consciente), brincam com nossos pensamentos lascivos e perversos.

As Ondinas atômicas do sagrado esperma originam sempre espantosas tempestades sexuais.

Os Gnomos atômicos da carne e dos ossos gozam indolentes com a preguiça, gulodice, concupiscência.

Faz-se urgente saber exorcizar, mandar e submeter aos elementais atômicos de nosso próprio corpo.

Não há dúvidas de que os elementais minerais avançados ingressam no reino vegetal.

Cada planta é o corpo físico de um elemental vegetal.

Toda árvore, toda erva, por insignificante que esta seja, possui seu elemental particular.

Não quero dizer, com isto, que os elementais das plantas, árvores e flores, etc., estão metidos a toda hora dentro de seu corpo imóvel; isto seria absurdo e injusto demais.

Os elementais vegetais têm plena liberdade para entrar e sair de seus corpos à vontade.

Assombramo−nos quando os encontramos na quarta coordenada, na quarta vertical.

Normalmente, as criaturas elementais do reino vegetal se encontram classificadas na forma de famílias.

Uma é a família das laranjeiras, outra a da hortelã−pimenta, outra a dos pinheiros, etc., etc., etc.

Cada família tem seu templo próprio no Éden, na quarta dimensão…

VM Samael Aun Weor


Magia Elemental – Aprenda a manejar as forças da Natureza!

A natureza é um grande organismo vivente, em última síntese está dirigida por forças elementais. As classes de éter estão densamente povoadas por inúmeras criaturas elementais da natureza, assim temos que:

Na água encontramos as Ondinas e Nereidas.

No elemento terra estão os Gnomos e Pigmeus, vivem na terra.

O ar em última síntese é elemental, o tatwa vayu é animado pelos Silfos e Sílfides (vivem nas nuvens).

O fogo elemental, o tatwa tejas está animado pelas Salamandras, que vivem no fogo.

No akash encontramos as Punctas.

Esses elementais atômicos, essas criaturas também povoam os mencionados elementos físicos em nosso organismo, ou natureza interior.

De acordo com a lei das analogias, os elementos físicos presentes na natureza exterior, se manifestam também em nosso organismo e possuem suas regiões específicas, ainda que seu trabalho alcance diferentes regiões do organismo.

A localização destes elementos segundo a magia elemental é a seguinte:
  • Região da Terra: desde os pés até os joelhos.
  • Região da Água: entre os joelhos e o ânus.
  • Região do Fogo: entre o ânus e o coração.
  • Região do Ar: entre o coração e o entre cenho.
  • Região do Éter: desde o entre cenho até o alto da cabeça.

Os Mantrans usados na Magia Elemental para chamá-los, em ordem são:
* Punctas HÁ (JÁ) (J…A….)
* Silfos e SílfidesYA (Y…A…)
* Salamandras RA (R…A…)
* Ondinas e Nereidas VA (V…A…)
* Gnomos e Pigmeus LA (L…A….)

Retomando o ponto sobre os elementais que povoam a natureza exterior da terra podemos acrescentar que:

Os corpos físicos das Salamandras, são plantas, ervas e raízes influenciadas pelos signos zodiacais do fogo. (Áries, Leão, Sagitário). Ex.: incenso, sálvia, mirra.

Os corpos físicos das Ondinas são as plantas influenciadas pelos signos zodiacais da água. (Câncer, Escorpião e Peixes).

Os corpos físicos das Sílfides são os elementais das plantas influenciadas pelos signos do ar. (Gêmeos, Aquário e Libra). Ex.: nardo.

Os corpos físicos dos Gnomos são as plantas sob a influência dos signos da terra. (Touro, Virgem e Capricórnio). Ex.: pinho e salsa.

Em nossa anatomia interna, os elementais nos ajudam limpando nossos cilindros, conservando nossa saúde.

Para dominar e servir-se dos elementais da natureza de forma completa e definitiva, é indispensável eliminar o Ego.

“Nunca uma pessoa volúvel e caprichosa, dominará os silfos e sílfides do ar”. 
“Jamais um sujeito mole, frio e volúvel, será amo absoluto das ondinas das águas ou das nereidas dos mares”. 
“A ira irrita as salamandras”. 
“A concupiscência grosseira converte em brinquedo dos Gnomos e Pigmeus do reino mineral a quem quer servir-se deles”.

É preciso ser disposto e ativos como os Silfos, flexíveis e atentos às imagens como as Ondinas e Nereidas. Enérgicos e fortes como as Salamandras. Laboriosos e pacientes como os gnomos.

“É necessário vencer os elementais em sua força, sem deixar-se dominar nunca por suas debilidades. Thelema (Vontade Consciente) é nosso lema”.

Estes elementais atômicos de nossa natureza interior, possuem seus regentes particulares ou Deuses, aos quais obedecem, é necessário portanto, que quando quisermos servir-nos das forças elementais, peçamos o auxílio a seus correspondentes Reis.

Estes Deuses inefáveis e terrivelmente divinos, são homens perfeitos no sentido mais completo da palavra.

As operações elementais devem iniciar-se no Mundo das causas naturais, desde essa região devem ser controladas… faltando esse controle, a Magia Negra surge de imediato.

Esta ordem angélica do mundo das causas naturais ou mundo da vontade consciente, é a dos Malachim ou Reis da Natureza, que certamente constituem por si mesmos Os Legítimos Princípios Espirituais dos Elementos.

Quando as forças naturais se divorciam de seus princípios espirituais se convertem em algo diferente, ainda que não se pretenda fazer mal algum, se produz inevitavelmente uma queda acompanhada pela degeneração.

O iniciado, ao oficiar a magia elemental, aborda aos seres elementais em nome de qualquer dos Reis que os governam. O Mundo Causal ou da Vontade Consciente é a Região do Misticismo Religioso, é a Esfera dos Mestres, é o Templo Eterno dos Céus.

Estes regentes são:
Éter  –  Sudashiva
Ar  –  Ishwara
Fogo  –  Rudra
Água  –  Narayana
Terra  –  Bragma
Na magia elemental combina-se a meditação e a oração para estabelecer contato objetivo com os Deuses da Natureza para que nos ajudem no despertar dos chakras, rodas ou discos do corpo astral.

A base da Magia Elemental são uma vontade de aço e uma fé inquebrantável, a fé real, é óbvio que se tem que fabricá-la mediante o estudo analítico profundo e a experiência direta.


Para realizar a Magia Elemental com os elementais de nossa natureza interna, não se necessita de uma fórmula exclusiva, cada um de nós tem sua particularidade e maneira de orar, de pedir, somente há que se levar em conta não violar a Lei Divina, ou seja, realizar o trabalho de acordo aos legítimos princípios espirituais, de acordo à ordem angélica do mundo das Causas Naturais ou da Vontade Consciente.

Em continuação vamos ilustrar como deve realizar-se esta prática:

Disposição: Sentados comodamente, relaxamo-nos totalmente, procurando que nossa respiração seja rítmica e concentrados profundamente no que vamos realizar.

Oração: Nos comunicamos com nosso real Ser, nosso Deus interno, pedindo-lhe a ajuda necessária para termos êxito na prática e por sua vez interceda por nós ante os Regentes elementais da natureza interior, da seguinte forma:

“Meu Pai, meu Senhor, meu Deus, tu que és meu Real Ser, te suplico com minha alma e com meu coração, em nome do Cristo, pelo poder do Cristo, pela majestade do Cristo invoque ao Glorioso Deus dos Elementais do Éter. 
Sudashiva, Sudashiva, Sudashiva, Deus do elementais do Éter, vos peço, vos rogo, que me concedam a graça de ordenar e mandar aos Punctas do Éter. 
Punctas do Éter, Punctas do Éter, Punctas do Éter, trabalhai intensamente, em nome do Cristo, pelo poder do Cristo, pela majestade do Cristo, em meus corpos, físico e internos, sanando-os, limpando-os de tudo aquilo que cause dano a minha saúde e a minha superação espiritual. 
Punctas do Éter, trabalhem intensamente desde a coroa até o entre cenho, limpando e curando tanto no físico como no interno, nosso cérebro, cerebelo, o sistema cérebro espinhal; melhorem nossa capacidade de memória, nosso Centro Intelectual; ativem todos os nossos neurônios; limpai nossos vórtices frontal e occipital. 
Punctas do Éter trabalhai, em nome do Cristo, pelo poder do Cristo, pela majestade do Cristo. 
(Imaginamos uma energia de cor preta com muitos pontos dourados que envolve nossa cabeça e vocalizamos o mantram HÁ (JÁ três vezes). Sempre alongando as vogais.) 
Meu Pai, meu Senhor, meu Deus, tu que és meu Real Ser, meu Deus Interno, te suplico com minha alma e com meu coração nos invoques, em nome do Cristo, pelo poder do Cristo, pela majestade do Cristo, ao Glorioso Deus dos Elementais do Ar. 
Ishwara, Ishwara, Ishwara, Deus dos elementais do ar, te rogo, que me dês a graça de invocar, ordenar e mandar aos Silfos e Sílfides do Ar. 
Silfos e Sílfides, Silfos e Sílfides, Silfos e Sílfides, em nome do Cristo, pelo poder do Cristo, pela majestade do Cristo, trabalhai intensamente, sanando, limpando e purificando meus corpos físico e internos, desintegrando tudo aquilo que cause dano a minha saúde e a minha superação espiritual. 
Internem-se na região compreendida do entre cenho ao coração, sanando e fortalecendo meu sentido da visão, da audição, do olfato, da gustação e do tato e também em nossos sentidos internos pondo em atividade os chakras de nosso corpo astral, trabalhai em nossas glândulas, no centro motor, trabalhai intensamente ajudando-no a lograr o equilíbrio da consciência, levem oxigênio a todos os nossos átomos, moléculas, células, órgãos e tecidos de nosso corpo. 
Silfos e Sílfides, trabalhai, em nome do Cristo, pelo poder do Cristo, pela majestade do Cristo. 
(Imaginando nosso corpo envolto em uma cor azul se vocaliza o mantram YA (três vezes), assim: YAAAAA, YAAAAA, YAAAAA.) 
Meu Pai, meu Senhor, meu Deus, tu que és meu real Ser, meu Deus Interno, te suplico, com minha alma e com meu coração, nos invoques em nome do Cristo, pelo poder do Cristo, pela majestade do Cristo, aos Deuses dos elementais do Fogo. 
Rudra, Rudra, Rudra, Deus dos elementais do fogo, te rogo, te suplico, com minha Alma e com meu coração, me dês a graça de trabalhar com as Salamandras do Fogo. 
Salamandras do Fogo, Salamandras do Fogo, Salamandras do Fogo, trabalhai, em nome do Cristo, pelo poder do Cristo, pela majestade do Cristo, intensamente, curando, sanando meus corpos físicos e internos, preparando-nos para o despertar de nossa consciência. 
Salamandras do Fogo, trabalhai desde o coração até o sexo queimando tudo aquilo que produz enfermidade no fígado, pâncreas, vesícula, próstata (útero), rins, glândulas suprarenais, estômago e vias circulatórias, ajudando-nos a equilibrar nossas emoções, a controlar a ira, dando-nos a capacidade da serenidade e da paciência. 
Salamandras do Fogo, ajudai-me a por em atividade todos os chakras de meus corpos internos para despertar o poder da consciência neles encerrados. 
Salamandras do Fogo, trabalhai, pelo Cristo, pelo Cristo, pelo Cristo. 
(Imaginando nosso corpo envolto em chamas, vocalizamos o mantram RA (três vezes).)
Meu Pai, meu Senhor, meu Deus, te peço e te suplico com minha Alma e com meu coração que nos invoques, em nome do Cristo, pelo poder do Cristo, pela majestade do Cristo, ao Deus dos elementais da Água. 
Narayana, Narayana, Narayana, Deus dos elementais da água, te suplico com minha Alma e com meu coração, em nome do Cristo, pelo poder do Cristo, pela majestade do Cristo, nos dês a graça de trabalhar com as Ondinas e Nereidas. 
Ondinas e Nereidas, Ondinas e Nereidas, Ondinas e Nereidas, trabalhai intensamente em nosso corpo físico e veículos internos, curando-os, sanando-os de toda enfermidade, preparando-os para o despertar da consciência; Ondinas e Nereidas, trabalhai desde os órgãos sexuais até os joelhos eliminando tudo aquilo que está causando dano tanto no físico como no interno, sanem nosso centro sexual pondo-o em equilíbrio para a Grande Obra, ponham em atividade os chakras dos joelhos para adquirir o poder da humildade.
Ondinas e Nereidas trabalhai, pelo Cristo, pelo Cristo, pelo Cristo.

(Imaginando o corpo envolto por uma cor branca, vocalizamos o mantram VA, (três vezes) assim: VAAAAA, VAAAAA, VAAAAA.)

Meu Pai, meu Senhor, meu Deus, te peço com minha alma e com meu coração, nos invoques, em nome do Cristo, pelo poder do Cristo, pela majestade do Cristo, ao Deus dos elementais da Terra. 
Bragma, Bragma, Bragma, Deus dos elementais da terra, te suplico, em nome do Cristo, pelo poder do Cristo, pela majestade do Cristo, me dês a graça ordenar e mandar aos Gnomos e Pigmeus da Terra. 
Gnomos e Pigmeus, Gnomos e Pigmeus, Gnomos e Pigmeus da terra, trabalhai em nosso corpo físico e corpos internos, curando-os, sanando-os de toda enfermidade e preparando-os para o despertar de nossa consciência. 
Gnomos e Pigmeus da terra, trabalhai em nossa musculatura, sistema ósseo, ajudando-nos a desalojar a inércia e a preguiça. 
Depositai as forças prânicas da natureza para que nossos corpos respondam às exigências da Grande Obra. Gnomos e Pigmeus ajudai-nos a desenvolver o poder da vontade para controlar os instintos; ponham em atividade os vótices dos pés para adquirir a inocência perdida. 
Gnomos e Pigmeus, trabalhai, pelo Cristo, pelo Cristo, pelo Cristo. 
(Imaginemos ao corpo envolto em uma cor amarela enquanto vocalizamos o mantram LA (três vezes). LAAAAA, LAAAAA, LAAAAA.) 
Damos graças aos Deuses elementais da natureza e a nosso Real Ser pela ajuda que se dignou a nos prestar. Cada um de nós fará esta ação de graças de acordo com sua particularidade terminando-a com: Que seja de acordo com a Lei Divina. Assim seja, Assim seja, Assim seja.”

*Malachin: (Heb.) Malakim. Anjos mensageiros virtuosos; Raios de proteção. Virtudes.


Os Tatwas - Como usar as Vibrações Cósmicas a nosso favor?


Tatwas e as Vibrações do Éter ou Energia Cósmica

Nosso corpo etérico está formado por Tatwas, os quais são originados por diferentes estados vibratórios do éter.

Vamos começar desde o princípio, da vibração; dando-lhe uma exata posição na grande conformação universal até nós.

Quando nós ouvimos frases como estas: “Você tem direito a triunfar… O Espírito deve vencer a matéria…”, etc., nós não podemos aceitar a miséria, ela é própria dos espíritos fracassados.

Quando o Espírito vence a matéria, o resultado é a Luz, o esplendor, o triunfo completo econômico, social e espiritual.

Temos dito que constantemente somos irradiados por energias que podemos canalizar de forma consciente, que servirão para nosso benefício.

Deduzimos que devemos conhecer esse funcionalismo energético para poder manejá-lo. É necessário conhecer a Lei da Vibração Universal.

Aprendendo o manejo dessas vibrações se pode resolver favoravelmente todos os assuntos da vida.

A missão do homem é encarnar o verbo; a terra é tão só uma condensação do verbo.

A matéria primordial está representada pelas Águas de todos os Gênesis Religiosos, este princípio é a energia Cósmica, que é vibração; movimento elétrico, luz e calor. Magnetismo universal. Vida que palpita em todo o existente.

Esta grande vida se conhece com o nome de Prana. Ela se transforma em uma substância azul intenso muito divina, seu nome é Akash.

Vemos como isso que é o atributo do Akash é o som, e este vem do Logos. Akash é realmente a condensação do som. É a causa primária de todo o existente; é a radiação ígnea da matéria primordial.

No homem, Akash está contido também em sua matéria primordial, em sua semente.

Sem Akash é impossível concretizar e cristalizar o som. Dele advém todas as existências.

Por cima do Akash se encontra o elemento radical da matéria. Akash é uma substância maravilhosa que preenche todo o espaço infinito e que quando se modifica se converte em Éter.

Tudo é vibração do éter; tudo vem do éter, tudo volta ao éter.

O éter, quando se modifica, se converte por sua vez nisso que chamamos Tatwa.

Tatwa, palavra indostânica, é Vibração do Éter.

Existem sete tipos de vibração do éter ou Tatwas:
Akash, é o princípio do éter.
Vayu, é o princípio etérico do ar.
Tejas, é o princípio etérico do fogo
Prithvi, princípio etérico do elemento terra.
Apas, princípio etérico do elemento água.
Anupadaka (o Samadhi)
Adi.
Baseando-se em todo o exposto, podemos dizer que:
Vayú é a causa do ar e do movimento.
Tejas é o éter do fogo animando as chamas.
Prithvi é o éter do elemento terra acumulado nas rochas.
Apas é o éter da água.
A condensação, a cristalização dos tatwas no mundo tridimensional, dá origem aos elementos físicos da natureza: fogo, ar, água e terra.

Antes que se condensasse o globo planetário com seus quatro elementos, existia com todos esses elementos em estado etérico.

Os Tatwas são a alma dos elementos, é a causa em si dos elementos. Esses elementos existem em todos os planos da consciência cósmica, ou seja, são chamados Tatwas nos mundos internos.

Os Tatwas e os chakras estão intimamente relacionados, já que os Tatwas entram nos chakras e logo passam ao interior das glândulas de secreção interna, intensificando o trabalho desses minúsculos laboratórios endócrinos, transformando-se em hormônios.

Os Tatwas entram no organismo, porém não voltam a sair dele, eles se transformam em gens e cromossomos também.

Vemos com tudo isso a importância que tem uma boa disposição para aceitar a nível consciente essa energia para nosso benefício.

Um apropriado conhecimento das propriedades dos Tatwas, nos permite sua aplicação prática em duas formas diferentes, a saber:
1°- Na natureza exterior.
2°- Em nosso corpo físico.
Os negócios, o amor, a saúde, etc., estão controlados pelas vibrações cósmicas.

Se você conhece as leis da vibração da vida, se conhece os Tatwas, pode modificar certos aspectos da existência.


Propriedades dos Tatwas e suas aplicações práticas.

Akash: é bom para a meditação exclusivamente. A essa hora se aconselha muita oração.

Não tenha encontros de negócios, nem de amor, fracassarão ambas inevitavelmente.

Este Tatwa nos faz cometer gravíssimos erros; se trabalhamos durante esse período devemos ser muito cuidadosos.

Tudo o que começa em Akash fracassará. É o Tatwa da morte.


Vayu: Velocidade e movimento, é sua correspondência. Os ventos, a navegação, a navegação aérea.

Durante esse período as pessoas gozam falando mal do próximo, enganando, roubando, etc… Por comum os acidentes aéreos ocorrem nesse período. Os suicidas são estimulados por esse Tatwa.

Aconselhamos que não se case durante esse tipo de vibração, porque o matrimônio seria de curta duração.

Toda classe de negócios sensíveis e rápidos resultam muito bons em vayú. Os negócios complicados e de longa duração resultam um fracasso.

É bom fazer trabalhos intelectuais durante esse período.


Tejas: Durante esse período sentimos mais calor; podem banhar-se em água fria em tejas e não se resfriarão jamais.

Não discuta com ninguém em tejas, porque as conseqüências podem ser graves.

Se emprega essa hora para trabalhar intensamente.

Não se case em tejas, terá constantes brigas com seu cônjuge. As explosões e acidentes mais terríveis ocorrem neste período, do Tatwa tejas.


Apas: é maravilhoso para compra de mercadorias é também maravilhoso para os negócios. Se pode conseguir muito dinheiro se sabemos aproveitar esse Tatwa.

As viagens por água resultam boas; as chuvas que começam em apas resultam ser longas e fortes.

Esse Tatwa obra concentrando e atraindo.


Prithvi: é o Tatwa do êxito na vida.

Se queremos triunfar nos negócios, façamos-os em prithvi.

Se queremos Ter boa saúde, comamos e bebamos neste período.

Os matrimônios que se realizam em prithvi se fazem ditosos para toda a vida. Toda festa, toda conferência, toda encontro que se realize nesta hora, será um êxito completo.


Prithvi é amor, caridade, benevolência.

Os Tatwas Adi e Samadhi vibram durante a aurora, são excelentes para a meditação.


Horário Tátwico

As vibrações dos Tatwas começam com a saída do sol.

Cada um dos Tatwas vibra durante 24 minutos em um período de 2 horas.
  • 1° Akash
  • 2° Tejas
  • 3° Vayu
  • 4° Apas
  • 5° Prithvi


Às duas horas volta a vibrar Akash e se repete a sucessão dos tatwas, na mesma ordem.

Os tatwas vibram de dia e de noite e é necessário saber a hora da saída do sol.


Prática para visualizar os Tatwas

1°- Sente-se ante uma mesa, com o rosto para o Oriente.
2°- Apoie os cotovelos sobre a mesa.
3°- Introduza os dedos polegares de ambas as mãos nos ouvidos.
4°- Com os dedos índices, tampe os olhos.
5°- Com os dedos médios, tampe as fossas nasais.
6°- com os dedos anular e mínimo, feche os lábios.

Procedimento:
  1. Inale lentamente contando até (20).
  2. Retenha o alento e conte de 1 a 20.
  3. Exale lentamente, contando de novo até 20.
  4. Durante a retenção, os dedos médios devem fechar hermeticamente as fossas nasais.

É necessário que durante a retenção do alento se trate de ver os tatwas com o terceiro olho.(O entre cenho).

Se deve reconhecer as cores:
  • Akash é negro.
  • Vayu é azul esverdeado.
  • Tejas é vermelho como o fogo.
  • Prithvi é amarelo ouro.
  • Apas é branco.


Yogananda aconselha que se faça o mantram OM para essa prática. (OOOOOMMMMM).

Com essa prática também se desenvolve a clarividência e o ouvido mágico.

Podemos afirmar igualmente que o melhor horário é o da natureza:
  • Dias de ventania e furacões estão influenciados por Vayú.
  • Quando faz calor intenso e muito sol, está vibrando Tejas.
  • Dias primaverais, cheios de muita beleza são de Prithvi.
  • Dias de muita chuva são de Apas.
  • Horas de tédio e monotonia são de Akash.


Leia mais sobre a cristalização dos tatwas nos elementos da natureza e como trabalhar conscientemente com eles por meio da Magia Elemental.


sábado, 8 de setembro de 2018

Carro movido a Água Salgada faz 150 mil Km e sem poluir


A nanoFlowcell é uma marca protótipo do carro Quantino movido a água, neste caso a água salgada. E recentemente numa experiência o Quantino completou mais de 150 mil quilômetros em estrada tendo como combustível o recurso a água salgada.


Como Funciona a NanoFlowcell?

O funcionamento da tecnologia da nanoFlowcell é em tudo idêntico à de uma célula de combustível, só que recorre à água salgada invés do hidrogênio!

Assim, os iões positivos ficam separados dos iões negativos, sendo que ambos ao passarem por uma membrana se misturam e interagem, e é essa interação que gera energia elétrica que permite mover o automóvel!

O resultado final dessa mistura do líquido de iões gera água, tal como na célula de combustível de hidrogênio, mas tem como vantagem o facto de permitir que o veículo se movimente com zero emissões de carbono e um reabastecimento rápido!


Quando Surgiu a NanoFlowcell?

Esta é uma empresa já com algum tempo no mercado. Desde 2014 que esta empresa alemã tem vindo a desenvolver protótipos com o intuito de usarem água salgada como combustível primário.

Foram vários os protótipos desenvolvidos:
  • Desportivo e-Sportlimousine
  • Crossover Quant F
  • Compacto Quantino

Os três modelos têm sido testados em estrada, mas foi o Quantino o primeiro a mostrar a verdadeira capacidade do combustível a água salgada.

EM AGOSTO DE 2017 O MODELO QUANTINO FEZ 100 MIL QUILÔMETROS, SENDO QUE AGORA QUASE AO FIM DE UM ANO FEZ MAIS 50 MIL QUILÔMETROS, TENDO ASSIM UM TOTAL DE 150 MIL QUILÔMETROS.


Outra grande meta deste veículo com combustível alternativo e zero emissões de carbono, ou seja, nada de poluição, é o facto de ter feito 1000 quilômetros durante oito horas e 21 minutos ininterruptos!

Ou seja, durante esses 1000 quilômetros não precisou de parar para atestar, o que comprava que também tem uma excelente autonomia!


Caraterísticas Quantino

Quanto às características desde compacto que está a revolucionar o mercado, é de ressalvar que permite até quatro pessoas no seu chassis, tem um motor de 80kW (cerca de 109 CV), e pesa pouco mais de 1400kg.

Ainda assim, com essas características consegue atingir a velocidade de 100km/h em pouco mais de cinco segundos!

A nanoFlowcell tem como objetivo iniciar a produção final deste modelo protótipo a curto prazo… se conseguir será uma grande revolução no mercado automóvel!

É que ainda agora começaram a surgir os veículos elétricos, e se vier um veículo com estas caraterísticas, basta irmos à beira mar para atestar o carro!


segunda-feira, 27 de agosto de 2018

As 5 Emoções que me me ajudam a praticar o Desapego Emocional



Resolvi escrever As 5 emoções que me ajudam a praticar o desapego emocional, porque hoje se fala muito em desapegar-se de “coisas, com arrumar o guardar roupa, limpar a casa, arrumar sua mesa de trabalho etc. A velocidade das coisas nos levam a entender que se maquiar o externo, o interno também ficará bonito, mas seria como passar um blush no rosto e querer alterar a cor natural da sua pele. Podemos aumentar a velocidade do filme, mas a mudança interior passa em câmera lenta. É preciso esquecer o externo, e olhar para dentro de si mesma. Se não fizer isso, não importa o quanto quer mudar, não vai conseguir, falo por experiência própria. A baixo vou explicar as 5 emoções que me ajudam a praticar o desapego emocional e no final vou ensinar uma técnica infalível para você mudá-las.

1 – Eu sou vítima

Pessoas que gostam de se passarem por vítimas são aclamadas por certo tempo, pois passam a sensação que foram lesadas. E os outros pensam: Ah coitada, ela foi vítima! Não conseguiu o sucesso, pois foi vítima das circunstâncias! E assim vai. Essa síndrome de vitimização na maioria das vezes acontece na infância. Aquela criança que adora chamar atenção dos pais de toda forma, quando crescem, mantem as mesmas manias; sempre têm que arrumar um modo de chamar a atenção e tornarem-se vítimas de si mesma, pois todos sentem “pena” de vítimas. Mas ser vítima causa um mal enorme a própria vida e ao corpo. Para ser vítima é preciso uma carga emocional muito grande e toda vez que você coloca pressão demais no cérebro, ele arruma um jeito de se aliviar, distribuíndo ela pelo corpo através das doenças. Pare de ser vítima e assuma de vez que você é responsável por tudo que acontece na sua vida.

2- Eu me rejeito

Você tem dúvida se rejeita a si mesma? Pois pegue um espelho e olhe bem a imagem que está refletindo. Se perceber esses pensamentos, “ Eu sou muito gorda”, “ Como eu sou feia” “quero ser uma outra pessoa” “Todo mundo no meu emprego é melhor do que eu” e assim vai… Se você teve algum desses pensamentos, acredite, você se rejeita. A auto rejeição é a culpada por muitos fracassos durante a vida. Antes de explicar os males da rejeição, vou falar de uma coisa chamada de “energia”. Todos os nossos sentimentos se transformam em energia e essa energia se expande no ar. Imagina que a energia da rejeição é como uma nuvem negra e toda hora que se sentir rejeitada, essa nuvem irá se propagar para as pessoas a sua volta… Imaginou? Pois bem! Todos rejeitam uma nuvem negra, certo? Se as pessoas rejeitam as nuvens negras, por que não rejeitariam você, se é isso que você está passando para elas? Por esse motivo que elas fazem piada com seu corpo, chama-lhe de gorda ou de magra, lhe fazem sentir incapaz, pois elas estão respondendo a energia que você está emanando. Rejeitar a si mesma é viver em um casulo negro, onde as pessoas apontam o dedo o tempo todo para seus defeitos e dificuldades. Não os culpem, pois eles somente estão respondendo os seus estímulos. O cérebro não entende o que é certo ou errado, ele somente entende o estimulo que você manda através dos seus pensamentos e emoções. Se você mandar o estimulo de: Eu sou gorda!, o cérebro vai mostrar isso para todas as pessoas que olham para você, pois ele somente trabalha a seu favor e se você quer se sentir gorda ou cérebro responde: – Ótimo você vai ser gorda! Simples assim.

3- Eu sou orgulhoso

Ah se achasse um lâmpada mágica e pudesse fazer um pedido, faria: retirar da face da terra o orgulho, pois ele é um mal que devora as pessoas que o alimentam. Você sempre está com a razão? Odeia errar? Precisar ser o primeiro em tudo? Não se permite? Não cede nunca? Se alguma dessas perguntas têm haver com você, se junte a mim em busca da lâmpada mágica, pois esse orgulho vai acabar com você. Ele o deixa cego, preso nas suas próprias convicções. Mesmo que tentem lhe alertar que está errado, você não ouve e continua somente para mostrar que não cede a conselhos alheios. Pessoas orgulhosas vivem tensas, pois precisam controlar tudo a sua volta e quando acontece algo que saiu do seu controle, ficam com raiva de si mesmas por não terem percebido antes de acontecer. Imagine como é o cérebro de uma pessoa orgulhosa, tendo de estar ligado, produzindo energia, buscando um meio de estar o tempo todo na frente e no controle. Os orgulhosos não se permitem e somente descobrimos as maravilhas do mundo se nos permitimos a conhecer coisas novas. Liberte-se do seu orgulho, seja mais flexível, errar é possível, natural e faz parte do aprendizado, para que nos tornemos melhores.

4 - Eu me culpo

Não seja tão rigorosa como si mesma. Aquilo foi um erro banal! Pare de ver montanhas em um pequeno monte de terra. Culpar a si mesma é dar à sentença sem ao menos ser julgada. Temos a mania de nos culpar de tudo que acontece conosco. A culpa nos torna fracas e perdedoras, pois aceitamos a derrota na primeira dificuldade. Imagine se o Steve Jobs se sentisse culpado por ter sido demitido da sua própria empresa, talvez hoje você não estivesse lendo esse artigo no seu celular. Temos que analisar nossas falhas. Chorar uma noite toda pelas nossas escolhas erradas, mas ao amanhecer, enxugar as lágrimas e aceitar que foi feito tudo que estava ao seu alcance. Tenha esse princípio em mente: Tudo que se faz, têm cinquenta por cento de chance de dar certo ou errado. Se aprender isso, não vai se culpar mais. Tudo pode ser modificado e mudado se você mudar a forma que olha para a situação.

5 – Carência

Para terminar, livre-se de sua carência, ela já lhe fez fazer tantas coisas, que você não faria se não a sentisse. Como definir a carência? É como se existisse um vazio dentro de si, que um oceano inteiro não conseguiria preencher. A carência faz com que você se entregue a primeira pessoa que lhe dê um pouco de carinho e atenção, te torna depende dessa pessoa e quando a mesma não pode ou não quer mais suprir essa carência, você fica irritada e emocionalmente abalada. É difícil lidar com esse sentimento, pois a falta nos sufoca o peito e a sensação de querer mais e mais invade a alma, mesmo sabendo inconscientemente que nada consegue suprir isso. Vou lhe falar uma verdade. Sei que vai ser difícil de você aceitar, mas ninguém no universo será capaz de extinguir sua carência, a não ser você mesma. Seu marido pode transbordar de carinhos e atenção a você, mas ele não vai ficar o tempo todo ao seu lado e quando estiver sozinha, vai sentir um vazio enorme por dentro. Por isso, algumas pessoas se sujeitam a certas situações, apenas para ter alguém para encher esse vazio por algum tempo. Depois que você aceitar o seu vazio e que somente você pode preenchê-lo, vai começar a ver a carência de outra forma e vai buscar situações que preencham isso, sem depender de ninguém. Algo que você goste de fazer e faça sem seu marido, namorado ou filho ou até amiga. Simplesmente faça! Vai sentir medo no início, pois pessoas carentes sempre precisam de outra por perto, nem que seja apenas para olhar para essa pessoa e pensar: eu tenho alguém para me dá atenção. Mas continue a fazer algo que você goste, mesmo sem ninguém que conhece por perto e logo vai perceber que esse buraco dentro de ti, vai diminuindo. Lembre-se: você é a única pessoa que conhece seus anseios. Prestar atenção neles e resolvê-los vai te torna uma pessoa completa.


Vamos para parte que depende somente de você: Sair da sua zona de conforto em que se encontra agora, é total responsabilidade tua. Pense bem, se continuar a fazer as mesmas coisas, vai ter os mesmo resultados; isso é fato. Todas as 5 emoções que me ajudam a praticar o desapego emocional, podem ser removidas com um simples ato: De você amar a si mesma com toda força do mundo. A pessoa mais importante do mundo é você, acredite nisto. A sociedade dominadora coloca em nossas cabeças, que amar a si mesmo é egoísmo, mas eu digo com toda certeza, egoísmo é se anular para que as pessoas fracas te amem. Vou lhe dar uma missão e se você fizer por um mês seguido, eu lhe garanto que você remove qualquer uma dessas 5 emoções. Vamos lá:

- Primeiro defina qual emoção você quer trabalhar primeiro, vítima, culpa, orgulho, rejeição ou carência… Definiu?
Anota a frase que vou passar no seu celular ou em outro local de faço acesso:

Mesmo sendo _________(coloca aqui a emoção que você definiu) eu me aceito, me aprovo e me amo do jeito que eu sou.

Exemplo:
Se você definiu a emoção de vítima, fica assim: Mesmo sendo _Vitima_eu me aceito, me aprovo e me amo do jeito que eu sou.

Ao acordar, depois do almoço e antes de dormir e toda vez que se olhar no espelho, repita a frase a ser trabalhada. Faça isso por um mês e veja os resultados. Isso mudou a minha vida, e vai mudar a sua. Sei que parece simples, mas as coisas simples são as mais difíceis de fazer. Conhece aquela música que se canta nos aniversários? Essa música: Parabéns para você nesta data querida… é uma música muito simples, cantada por todos. Agora, lhe pergunto: Quantas pessoas criaram outra que a substitua? Até tentaram, mas não conseguiram, pois o simples toca a todos. A frase que lhe pedi para fazer é simples, mas tem uma força enorme para mudar a sua vida. Acredite em mim, pois eu acreditei e mudou minha vida. Se não fosse essa frase, eu não estaria escrevendo esse artigo hoje, pois não acreditava que eu poderia fazer isso.


quinta-feira, 26 de julho de 2018

O Crescimento Espiritual Vem Pelo Esforço Diário Para Mudarmos a Nós Mesmos


"É assim que mudamos. Não temos que continuar como somos; não precisamos nos tornar 'mobília psicológica', como Paramahansaji costumava dizer. A mobília nunca muda. Se mantivesse a forma original de árvore viva, continuaria crescendo e produzindo; mas quando é moldada como cadeira ou mesa, ela para de aprimorar-se. Apenas fica mais velha, se deteriora e se desintegra. 

Para crescer espiritualmente, temos que tentar mudar constantemente. A espiritualidade não é algo que possa ser 'enxertado' em nós de outro lugar - um 'halo' que se possa personalizar e colocar na cabeça. Ela vem com o esforço contínuo, paciente e diário e com uma calma sensação de entrega a Deus. A luz divina não vai descer de repente sobre nós, tornando-nos santos de uma hora para outra. Não; é um esforço diário para mudar e para entregar o coração, a mente e alma a Deus, na meditação e na atividade. (...)

Onde quer que Deus o tenha colocado, faça o melhor possível para manifestar espírito positivo, força mental interior, senso de fé, confiança e entrega aos pés do Criador. Conhecer Deus é muito simples; basta entregar-se e deixar que Ele entre em sua vida. Este é todo o propósito do caminho espiritual. Aceite cada experiência que vier a você como proveniente de Deus, e tente aprender com ela. (...) Não continue como a mesma velha 'antiguidade psicológica';  use o poder de Deus que existe em você para mudar a sua vida. Aí reside a completa liberdade de todas as limitações físicas e mentais deste mundo de ilusão. Aí está a vitória suprema para todos nós."

Sri Daya Mata
Intuição: Orientação da Alma para as Decisões da Vida
Self-Realization Fellowship
p. 62/64